Socorrendo-me dos meus tempos de correspondente do Notícias da Covillhã, e como  o prometido é devido, aqui estou a trancrever uma parte de uma crónica  que eu alinhavei em 21.07-1956, com uns pequenos aditamentos e esclarecimentos:
Cebola é um das 27 freguesias do munícípio da Covilhã e incluindo as anexas da  Cerdeira e do Vale da Cerdeira  a sua densidade populacional é superior a 4 mil habitantes e fica situada nas encostas de íngremes e escarpadas montanhas,
O subsolo dos seus terrenos é rico em estanho e em volfrâmio.
As suas gentes vivem exclusivamente do produto do seu trabalho e dos seus rendimentos, como  a exploração da agricultura.
Possui uma estrada, que mais parece um caminho de bois, uma capela, um monumento ao Sagrado Coração de Jesus, uma igreja, construída sem qualquer ajuda vinda do exterior, um campo de futebol, situado na "Portela", uma banda de música, telefone e uma carreira diária para o Fundão..
 Como o caro leitor pode constatar não mencionámos:
Água no domicílio (tem de se recorrer aos fontenários existentes na Eira, Rodeio, Cruz da Rua, Fontita, Fonte Cimeira e Abeceira )
Edifícios escolares apropriados
Saneamento Básico
Electricidade
Ruas alcatroadas
Na realidade, Cebola a quem em tempos apodámos de "A Desprotegida da Sorte" tem sido uma terra completamente votada ao ostracismo.
Esperemos, pois  a esperança é  a última coisa  a morrer, que  melhores dias venham a raiar para ela.
Há  a acrecentar,  que é uma povoação muito comercial, possuidora de um solo bastante arável e  muito fértil em produção de milho, batata, vinho e  azeite.
Por fim, é a segunda maior contribuinte do concelho da Covilhã, logo a seguir ao Tortozendo !
Comentário à Crónica`:
Caros conterrâneos, comparem a hoje São Jorge da Beira com a Cebola de 1956 !
Como ela evoluíu, meu Deus !
E como ela piorou noutros campos:
Onde está a AGRICULTURA ?
Ainda haverá terrenos aptos  a serem cultivados ?
Não estarão cobertos de silvas e alguns transformados em autênticos matagais ?
E casas de habitação quantas não há abandonadas e a caírem aos bocados ?
Feliz Natal e um Novo Ano de 2011 muto próspero para todos os sanjorgergense
Um abraço amigo do
Tó Almeida