Por: Dulce Gabriel (Jornal do Fundão)

S.Jorge da Beira projecta nova área de lazer – c/som

A freguesia de São Jorge da Beira, no concelho da Covilhã, está a desenvolver esforços para dotar aquela aldeia de montanha de um novo equipamento de lazer. Embora ali existam quatro ribeiras, nenhuma delas tem água no verão e por isso a junta de freguesia local está a reunir apoios financeiros para construir uma piscina de verão. O novo equipamento colectivo poderá custar mais de cinquenta mil euros, mas “já temos de 8.150 euros para este equipamento que evitará que os jovens oriundos desta terra se desloquem para a barragem de Santa Luzia e se fixem” aqui em São Jorge da Beira afirma o presidente da junta Fausto Baptista.

São Jorge da Beira é uma das aldeias de montanha do concelho da Covilhã e beneficia de uma das mais bonitas paisagens naturais da cordilheira. O Património Natural daquele território valeu-lhe a conquista de um dos prémios -instituídos pela Câmara Municipal da Covilhã (CMC) - das Maravilhas Naturais do Concelho da Covilhã. Agora que o picoto na serra das Fontes é “cartaz turístico” é preciso construir novos equipamentos de lazer naquela que é uma das aldeias mais povoadas (700 habitantes, a maioria dos quais idosos) da região e que no período do verão vê a densidade populacional crescer consideravelmente. Fausto Baptista pensa aproveitar “as potencialidades da zona dos torgais, onde não falta sol nem espaço para amplo estacionamento”, explica o autarca de São Jorge da Beira. Embora aquela seja a menina dos olhos do presidente, é pouco provável que na próxima época estival o empreendimento esteja pronto. “Nós não conseguimos fazer obra nenhuma sem o apoio da CMC, disseram-nos para aguardar (...) ainda estamos a negociar a aquisição do terreno”, explica Fausto Baptista.

Além deste investimento a junta de freguesia de São Jorge da Beira é um “parceiro privilegiado” das várias forças vivas da localidade. No dia da tradicional festa do Bodo a reportagem da Rádio JF testemunhou o empenho da autarquia local nos apoios à Banda Filarmónica, ao Clube e ao Centro de Solidariedade Social de São Jorge da Beira. “A junta de freguesia apoia naquilo que pode, dando o contributo e apoio logístico possível”, atira o presidente eleito pelo PSD que lembra as dificuldades das juntas de freguesia quando “condicionadas pela disponibilidade de apoios da CMC e do próprio Estado” que sendo cada vez menos, “me obrigam a ponderar como manter os cinco postos de trabalho” da junta de freguesia. Apesar da conjuntura económica e da distância que separa São Jorge da Beira da sede de concelho, Fausto Baptista recusa-se a pensar que Cebola (primeiro topónimo de São Jorge da Beira) é uma aldeia a prazo e nesta campo a maior esperança do autarca são os cerca de 100 jovens que mantém residência naquela localidade. “Somos uma Terra viva e cheia de identidade, o futuro será mais próspero se houver uma preocupação de atribuir mais competências e meios às juntas de freguesia”, conclui o autarca.


AUDIO Fausto Baptista área de lazer

AUDIO Fausto Baptista autonomia do poder local