Fonte Paula Brito RCB

Foi adiada para o próximo mês de Fevereiro a primeira sessão do julgamento que opõe a junta de freguesia de S. Jorge da Beira e a Associação de Produtores Florestais do Paúl. Em causa está uma alegada dívida da autarquia à associação num montante superior a 3 mil euros, que, com os juros de mora, já vai em mais de 6 mil euros.

 

A alegada dívida remonta ao executivo liderado por José Alves Pacheco e foi reclamada pela Associação no anterior mandato de Fausto Batista. Na altura o autarca pediu a António Covita uma reunião que fez coincidir com a assembleia de freguesia onde o presidente da direcção da Associação terá dito que a dívida foi paga através de uma permuta de serviços.

Mais tarde a junta de S. Jorge da Beira recebe uma carta do advogado da associação a cobrar, não só o valor da dívida como os juros de mora que já prefazem mais de 6 mil euros. O assunto foi parar ao tribunal mas na primeira sessão do julgamento, no passado dia 16, as partes pediram o adiamento da sessão.

Se até ao próximo dia 9 de Fevereiro não houver entendimento o diferendo entre as duas instituições vai ser resolvido em tribunal "o juiz adiou o julgamento para o próximo dia 9 de Fevereiro" confimou à RCB Fausto Batista. O autarca de S. Jorge da Beira está disposto a ir até ao fim e confiante que a dívida está paga.