Este Natal a chegar

com a crise a arrasar

as famílias portuguesas,

a fome vai ser presente

e a mesa de muita gente

consoada de tristezas.

 

Para onde foi a esperança

que nos dava confiança

de fazer o homem novo?

onde está essa riqueza

que criamos na certeza

de servir o nosso povo?

 

Que o Natal seja coragem

para enfrentar a viagem

da tristeza popular,

que se abram os corações

se humanizem soluções

para as vidas melhorar.

 

As prendinhas das crianças

irão ser parcas lembranças,

por certo, um beijo de amor,

esta a forma mais pura

de este Natal de amargura

nos sanar tão grande dor.

 

Mesmo assim, nossa alegria,

voltará, por certo, um dia,

não vamos desesperar,

e a festa da consoada

será de novo animada

com as crianças a sonhar.

 

Joaquim Ramos Pereira

-SOMAR-Natal/2011

B O A S    F E S T A S