Cebola…
Aldeia sumida por densos matagais
Queirós, giestas, medronheiros e um farto pinhal
Salpicada de casinhas de pedra
Rodeada de riquezas
Perdidas por entre as montanhas
E a pobreza da lavoura.

Lembra-se o Volfrâmio, o Estanho e as pedrinhas de ouro
que corriam no leito da ribeira
Acharam-se nas “Courelas” ricas pedras de ouro
Trocadas ao ourives por um cordão, um fio ou até uma medalhinha…
Imagens que vivem na memória de quem as viveu…
Compensou Deus a pobreza da lavoura com a riqueza do minério!

pedras de ouro