Por: Susana Proença, Jornal do Fundão

Os trabalhadores das Minas da Panasqueira marcaram nova paralisação para os dias 23 a 30 de Abril. Durante oito dias fazem greve às duas primeiras horas de cada um dos três turnos nas minas.

José Mendes João

pinoquioPois é, afinal não passou de uma brincadeira do dia 1 de Abril. Foi a nossa pequena mentira.
Aproveitando que se fala no assunto, alguém sabe se ainda estamos longe de chegar ao montante necessário para avançar com a Obra?

Noticía do rtp.pt

Foto da RROs mineiros da Panasqueira e a administração da Beralt não chegaram a um acordo, o que levou os trabalhadores a iniciar uma greve às 23 horas, a qual só termina ao final do dia de quarta-feira. O sindicato que representa os mineiros esteve reunido durante cerca de três horas com a administração da empresa, que recusa um aumento salarial de 50 euros alegando que já tem prejuízos desde meados de 2009, porque as minas não conseguem produzir o que estava previsto. Fernando Vitorino, representante da administração, critica a atitude dos trabalhadores.

_____________________________________________________

 

Noticía do IOnline

Os mineiros da Panasqueira vão entrar em greve a partir das 23:00 de hoje e durante toda a quarta feira, depois de sindicato e administração não terem chegado a acordo sobre aumentos salariais numa reunião que hoje decorreu.
No encontro de cerca de três horas na delegação da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) da Covilhã, o sindicato reclamou um aumento de salário de 50 euros, mas a administração alega prejuízos para não poder pagar mais.
"Compreendo a ânsia dos trabalhadores em ver os salários aumentados, mas enquanto a Beralt continuar com prejuízo não há condições para negociações", disse Fernando Vitorino, representante da administração, no final da reunião.
Segundo aquele responsável, as minas de volfrâmio da Panasqueira estão a acumular prejuízos desde meados de 2009, porque "não conseguem produzir o que estava previsto".
"Temos onde colocar o produto, o problema está em conseguir produzir mais. Estamos a investir em infraestruturas que levam tempo a explorar as zonas mais ricas da mina, o que deve acontecer a partir do final deste mês ou abril", acrescentou Fernando Vitorino.
"Logo que a empresa apresente lucros, podemos sentar à mesa e negociar com o sindicato. Pensamos que a partir de junho teremos condições para dar essa alegria a toda a gente", concluiu.
Segundo o responsável, um dia de greve representa um prejuízo de 60 mil euros.
Por outro lado, José Maria Isidoro, delegado do Sindicato Mineiro, considera que os números dos prejuízos apresentados pela empresa são fictícios. "A empresa veio brincar com trabalhadores", acusou.
"Uma empresa não pode apresentar milhões de euros de prejuízos consecutivamente", destacou, salientando que existem as condições perfeitas para haver aumentos.
"A empresa prepara-se para aumentar a produção, de 108 para 160 toneladas, há minério, há compradores e o dólar [moeda em que é pago o minério] está a valorizar face ao euro. São condições suficientes para a empresa apresentar uma proposta", realçou.
Já há duas semanas, a administração da Sojitz Beralt, concessionária das Minas da Panasqueira, anunciou que a unidade está a acumular prejuízo desde maio de 2009, devido a uma queda de 20 por cento das vendas.
A administração disse que não pode fazer aumentos, sob pena de ter de proceder a despedimentos na Panasqueira, onde trabalham 320 pessoas.

 

Limpar portugal

Cebola não ficou indiferente ao projecto nacional de Limpar Portugal num só dia.

Pela manhã, as várias instituições da freguesia juntaram-se e meteram mãos à obra. Fica aqui o retrato do xico do inicio dos trabalhos. Quando houver notícia de como correu, publicaremos aqui.

equipa de cebola Limpar portugal